Caderno Teológico

Blog do Missionário Andrew Comings

John Newton e a Sola Gratia

Quarta feira passada na nossa congregação dei um estudo sobre o conceito bíblico da graça.  Esse estudo faz parte de uma série que estou fazendo sobre as cinco “solas”–fundamentos doutrinários do cristianismo histórico.  No final do estudo sobre “Sola Gratia”, toquei no assunto John Newton.

John Newton era um homem profano e perverso.  Alem de seus hábitos de vida nada santificados, sua profissão era das piores–comerciante de escravos.  Ele era capitão dos navios crueis que levavam os negros desde a África até Améria, em condições deploráveis.

Mas no final de sua vida, Newton era um pastor muito amado pela sua congregação e muito influente no mundo evangélico da época, um conceituado escritor e compositor de hinos, e um líder no movimento abolicionista.

O que foi que fez a diferença?  Alguem chegou para ele e disse “John, vamos ver qual é a raiz dos seus problemas.”?  Alguem o incentivou a viver sua melhor vida agora?  Ele assistiu algum seminário onde foram dados oito passos para a transformação de vida?

Não.  A transformação da vida de John Newton se resume em uma palavra: graça.

Ele reconheceu a mão de Deus no livramento de uma tempestade no mar.  Movido pelo Espírito Santo, ele se mergulhou nas Sagradas Escrituras.  Depois, largando a vida no mar, ele se aprofundou nos seus estudos e entrou no ministério.  Em colaboração com um poeta inglês chamado William Cowper ele escreveu mais de 280 hinos, entre eles os mais cantados até hoje.

E antes de morrer Newton viu o fim do comércio de escravos no império inglês, fruto em parte dos seus esforços.

Já nos últimos dias de sua vida, alguém chegou e perguntou a John Newton sobre a sua fé.  Mesmo que a idade estava sugando seus poderes mentais, ele deu essa resposta:

“Minha memória está quase no fim, mas eu lembro duas coisas: que eu sou um grande pecador, e Cristo é um grande Salvador.”

Não é por nada que o hino mais popular que Newton escreveu (e, por sinal, o hino mais popular de todos os tempos) tem como tema a graça de Deus.  Ouçam um dos meus grupos favoritos cantando esse maravilhoso hino. (e não percam a gaita de fole no meio!)

Aqui uma tradução em português deste hino magisterial:

Oh! Graça excelsa do Senhor
Perdido, me achou.
Estando cego, fez-me ver,
Da morte me salvou.

A graça me fez em fim temer,
E meu temor levou.
Oh! Quão preciosa é para mim,
A hora que me achou.

Mil lutas, laços, tentações,
Cairam sobre mim:
Porem a graça me valeu
Será para sempre assim.

E quando à eternidade eu for
Fulgindo como luz,
A graça excelsa cantarei
Do amor do meu Jesus.

Fontes:

Christian Biography Resources: John Newton

John Newton, from Disgrace to Amazing Grace por Jonathan Aitken

Anúncios

No comments yet»

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: